.Justiceiro Social

O Blog Justiceiro Social, foi idealizado como um espaço que irá estar sempre actualizado com a realidade social. Será um espaço de entrevistas, comentários, sugestões e diferentes visões da nossa sociedade actual. Desta forma pretendemos ser mais um suporte para todos aqueles que se interessam com o presente e o futuro da nossa sociedade

.Justiças nº

Counter
Free Counter

.posts recentes

. Políticas Sociais para a ...

. ENVELHECIMENTO DEMOGRÁFIC...

. O ENVELHECIMENTO

. RELAÇÕES INTERPESSOAIS

. MIL VISITAS

. TRAUMAS DO BULLYING - mau...

. A pobreza em Portugal

. Factores e causas da Pobr...

. Ajude a ajudar

. Sondagem para aferir a vi...

.arquivos

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

.Super sugestões / Comentários Sociais

Guestbook Reserve-se no direito de adicionar comentários ou sugestões

.Lições Sociais

Sexta-feira, 30 de Maio de 2008

O ENVELHECIMENTO

 O envelhecimento sempre despertou, ao longo do tempo, curiosidade e interesse por parte de grandes pensadores, cientistas, e “curiosos” na procura constante do “exilar” da vida.

Envelhecer é um processo natural, universal, contínuo e irreversível, inerente a todos os seres humanos.
Como refere Fernandes, “O envelhecimento humano representa a última fase de um processo dinâmico de desenvolvimento que tem início na concepção e prossegue ao longo da vida do indivíduo, ou seja, nascer é começar a envelhecer, mais notória nas últimas fases de vida resultante da destruição dos tecidos ou sistemas orgânicos que leva a uma evolução biológica e psicológica responsável pela quebra de poder de sobrevivência e adaptação ao indivíduo. O envelhecimento não é uma doença, mas uma acumulação gradual de perdas funcionais irreversíveis que o idoso vai sofrendo ao longo da vida”. (Fernandes, Purificação L. D., (2002), Depressão no idoso. 2ª ed. Coimbra, Quarteto. Pg:21)
O termo envelhecimento e velhice são muito confundidos. No entanto, estes dois termos são distintos. Enquanto o envelhecimento é um processo de vida que começa a partir do momento que nascemos, velhice é a última etapa da vida que pode ser mais ou menos retardado consoante o indivíduo e a sua trajectória de vida.
            O envelhecimento é um 
processo complexo resultante da interacção entre factores biológicos, psicológicos, e sociais. Poder-se-ão assim sendo distinguir três categorias de envelhecimento: envelhecimento biológico, diz respeito aos tecidos que vão perdendo alguma flexibilidade e aos órgãos e sistemas que reduzem a qualidade e velocidade das suas funções; envelhecimento psíquico, por um lado a memória imediata vai diminuindo, mas por outro, a memória remota é exemplar, sendo os idosos frequentemente associados ao que vulgarmente se chama a memória de um povo; e o envelhecimento social, relativo aos papeis sociais apropriados às expectativas da sociedade para este nível etário. (Pimentel, Luísa (2001) O lugar do idoso na família, Coimbra: Quarteto). A mesma autora, na mesma ordem de ideias, considera haver cinco tipos de idades: a cronológica, que se refere ao tempo que decorre entre o nascimento e o tempo presente, e que dá indicações sobre o período histórico que o individuo viveu, sem no entanto fornecer indicações sobre o estado de evolução do mesmo; a idade jurídica que corresponde á necessidade social de estabelecer normas de conduta e de determinar qual a idade em que o sujeito assume certos direitos e deveres perante a sociedade; a idade física e biológica, que tem em conta o ritmo individual de envelhecimento. Quando se atribui uma doença ou deficiência à idade há que fazer como prudência, pois, muitas vezes, os problemas têm origem no ambiente e nas condições sociais, económicas e culturais; a idade psico-afectiva reflecte a personalidade e as impressões de uma pessoa e que tem á partida, limites em função da idade cronológica.
 As alterações causadas pelo envelhecimento desenvolvem-se a ritmos diferentes de pessoa para pessoa, podendo iniciar-se prematuramente e conduzir rapidamente à senilidade precoce, ou então produzir-se de uma forma lenta e levar a uma vida saudável por muito mais tempo. Estas diferenças estão ligadas a factores externos como por exemplo: raça, estilo de vida, informação genética, estado de saúde, entre outros.
            O valor que se atribui ao idoso depende de cada sociedade, e a importância que se dá à velhice. Assim sendo, as culturas orientais vêm o idoso como uma pessoa de respeito, representando fonte de experiência e de saber. Ao contrário nas culturas ocidentais o idoso é visto como um “velho inútil” e lento na execução de tarefas. O processo de envelhecimento é responsável pelo actual problema da Segurança social. Existe uma desproporção entre população activa e população não activa. Cada vez menos pessoas a descontar tendo em conta que os jovens entram cada vez mais tarde para o mercado de trabalho e por outro lado, cada vez mais pessoa a receber não esquecendo que há um aumento extraordinário de idosos. Este facto pode dever-se A uma guerra de gerações onde os jovens se revoltarão pela perda progressiva de importância na sociedade, os adultos não admitiram mais aumento de impostos e os idosos não quererão perder os direitos e regalias que entretanto adquiriram”. (Nazareth J. M., O envelhecimento demográfico da população portuguesa no início dosanos noventa, Coimbra (1999). pg.17).
 Tudo isto vai causar uma enorme pressão nos serviços sociais e de saúde para responder de uma forma eficaz às necessidades desta população. Os idosos constituem, na sua grande maioria, um grupo desfavorecido na sociedade. Estes, com o avançar da idade, são confrontados com vários problemas de saúde que podem levar à total dependência. No entanto, os problemas podem também ser de ordem socialtrazendo problemas de saúde. Tais como: perda de contacto com familiares, problemas económicos e de habitação, entre outros. Estes problemas, tal como já referido, levam em muitos casos a problemas de saúde como depressões, solidão, entre outros. São estes casos que levam os idosos a recorrerem a instituições sociais para responder aos seus problemas e necessidades. Tais instituições como Lar de Idosos, Centros de Dia, Serviço de Apoio Domiciliário e Apoio de Domiciliário Integrado entre muitos outros.

 

publicado por CSPS às 09:27
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De paula silva a 15 de Junho de 2009 às 18:36
olá, queria só dizer que gostei muito do seu artigo. Achei-o muito interessante e precioso para o meu projecto. Continue o bom trabalho.
Paula Silva

Comentar post

.EXPRESSE A SUA OPINIÃO

.Julho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Justiceiro Social Pessoal